segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Maria curtindo uma trip de naftalina


Lantejoulas, sedas, peles falsas, rendas, dourados e transparências, saltos altos, cheiro de mil perfumes, mises carregadas de laca, maquiagens exageradas adornadas de sorrisos nervosos e vontade de bem parecer.

Eu entro e penso: - "Cá estamos, no jantar de Natal da firma"

A sala cheia de gente, muito calor e pouca respiração, todos se miram e criticam secretamente com o sorriso tatuado na cara mas elogiam-se para bem parecer. 

Em destaque no cimo da sala sentam-se as chefias mais as altas entidades, e grossas individualidades, e a força de trabalho à parte numa mesa enorme disposta em "U".

Aos poucos o murmúrio foi perdendo a vergonha e as gargalhadas exageradas e o barulho tomou conta da sala.

Não sei, não sei o que aconteceu mas de repente o ambiente controlado deu origem a um autentico Harlem Shake

Colegas a beber penaltis de vinho tinto e a darem beijos na boca, o Padre ser convidado para dar um pé de dança, e a musica soava a qualquer coisa pimba " eu quero é chupar...". 
A troca de prendas caótica, que mais parecia uma feira, lembro-me de pensar que só faltava à "Berta Maravilhas", (outra personagem que um dia hei-de descrever), um daqueles microfones agarrados ao pescoço, e ela a dizer o numero da prenda à Darth Vader. 




Ri-me, como não? Comi e bebi a melhor sangria do mundo, mas penso que não me divertia tanto se não estivesse ao lado da minha BFF. 

Hoje ouvi algo que me assustou, alguém disse " pró ano há mais!".





2 comentários:

  1. pelo menos se houver mais para o ano, já sabes com o que contar :)

    Sónia
    Taras e Manias

    ResponderEliminar

Quem quiser pode ajudar a varrer... faça favor! : )