sábado, 10 de maio de 2014

Preguicite de Maria


É no fim de semana que com tempo e paciência dou largas aos meus dotes culinários. Não me considero uma masterchef, nada que se pareça, nem sou muito de inventar, mas adoro a cozinha tradicional portuguesa. Sou e serei sua fã incondicional.
 
Gosto de me deleitar pelo menos uma vez na semana com uma bela refeição de preferência bem regada. Normalmente esta refeição demorada e elaborada é degustada ao sábado, já que o domingo está muito perto da segunda feira e só de pensar fico sem forças. Mas hoje fiz greve, e foi mais ou menos assim. Não sei se amanha terei a mesma sorte!(sinto-me tão cansada!!!)


17 comentários:

  1. Ele bem que insistiu :p
    Aposto que a pizza também soube muito bem :)*

    ResponderEliminar
  2. Por acaso é uma coisa que tenho reparado é que quando se fala de culinária aparece sempre um prato todo amaricado, com receitas complicadíssimas e, na maior parte das vezes, só para encontrar os ingredientes é preciso tirar uma semana de férias.
    A cozinha tradicional portuguesa tem tudo para fazer feliz quem gosta de comer. Parece que uma boa caldeirada ou uma massa de peixe com gambas, uma perna de borrego ou de cabrito no forno, uma garoupa ou um pargo mulato no forno, um frango do campo de cabidela, o belo cozido à portuguesa, ou até uma açorda de bacalhau ou umas sopas de tomate àmoda do Alentejo, são pratos que têm vindo a cair no esquecimento, por troca com aquelas mistelas que uns chefezinhos amaricados aprenderam a fazer, sabe deus onde, que se tiverem tanto de sabor como de aspeto, espere aí que vou ali vomitar.
    Esqueci-me da feijoada nas suas milhentas variantes, com as mais simples a necessitarem apenas de um pouco de chouriço e toucinho fumado (bacon, para os chefinhos rabicholas), uma cebola e dois dentes de alho picados e um tomate maduro, refogados no molho da fritura. Coisa mais simples, económica e, sobretudo, gostosa, não há. E um tintol, para ajudar a dissolver a gordura do chouriço e do toucinho. xD

    ResponderEliminar
  3. Olha, o teu almoço de sábado foi o meu jantar. Cheguei do trabalho depois das 19h e a vontade de cozinhar era tanta que fomos jantar fora :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fim de semana as vezes é so para alguns!
      Neste fiz gazeta! :)

      Eliminar
  4. Opá...ter quem cozinhe é tão bom, nem que seja"encomenzinhar" uma pizza. :) E para hoje umas torradinhas com um chá? Beijinhos!

    ResponderEliminar
  5. revi-me aqui em alguns fins-de-semana..eheh

    Sónia
    Taras e Manias

    ResponderEliminar
  6. Também tem que se dar um descanso ao fogão de vez em quando... fizeste muito bem!

    ResponderEliminar
  7. as vezes a preguiça fala mais alto, alguns dias o melhor que podemos fazer a descansar :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  8. Ao ler este artigo, as respostas em geral e então a resposta do JS em particular, fizeram-me lembrar que era feliz e não sabia. Mas eu explico o busílis da questão.
    Estou no nordeste do Brasil, desde há ano e meio, onde para muitos dos locais com quem falei Portugal é algo de ficção, algo mitológico, existiu em tempos ou então existe, mas já agora, que língua falam em Portugal?? Perguntam-me de vez em quando...
    Mas em relação a isto poderei alongar-me em artigos que o justifiquem, porque o tema tratado é comilanças...
    Comer bem aqui, é comer arroz branco, feijão preto e esparguete cozido, todos os dias! Restaurante que não tenha estes 3 ingredientes está "feito ao bife". Claro que em Natal existem restaurantes com outra diversidade, mas os proprietários são estrangeiros e os preços não são acessíveis a toda a gente.
    Posto isto, e depois do artigo do JS me fazer salivar, aviava agora 2 fatias de pão de centeio com fiambre e um copo de um verde bem gelado, que classificava já com 3 estrelas Michelin.

    Regresso definitivamente à nossa terrinha no dia 31 do corrente.

    Faltam 18 dias!!!

    Abraços

    ResponderEliminar

Quem quiser pode ajudar a varrer... faça favor! : )