quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Tampas soltas na vida de Maria

Infelizmente para uns e felizmente para outros. Existem praí tampas que não encaixam em certos tachos. Por mais que os anos passem a fixação mantém-se, apesar das vidas seguirem o seu rumo. Numa terra pequena como Alguidares, onde todos sabem da vida uns dos outros é inevitável as pessoas cruzarem-se, seja na rua, no trabalho, no café.

Tó Zé Lapa, tem uma fixação por mim. Apesar de ser e de saber que sou comprometida, adora lançar o seu charme, o que deste lado equivale a comer uma tarte de pioneses. É fornecedor na Loja das Fazendas e por isso infelizmente vejo-o de vez em quando. Infelizmente porque ele é particularmente irritante. É abusado, brincalhão de uma forma cáustica, chega-se demasiado perto e quando finjo não saber que ele está, faz questão de gritar para me chamar a atenção. Chama-me de "Branquinha". Como se não bastasse ele faz questão de me tocar, é mais uma chamada de atenção. Toca braço, na mão, mais não se atreve! Não quero ser indelicada, mas aquele ogre faz-me calafrios. Apesar de irritada acabo por me rir, porque por trás vejo as minhas colegas no gozo e à gargalhada. O ego dele deve ser hirto e firme que nem uma barra de ferro, pois nem as constantes palavras soltas para ele descer à realidade o fazem acordar. 


Para não me passar dos carretos, na próxima visita do Tó Zé Lapa, vou enfiar-me no wc! Atitude pouco corajosa, eu sei. 

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Maria desprovida

Felizmente que existem os dias bons para lavar os maus. Hoje levei tanto pontapé, cacetada e amasso em tanta coisa. E por não ter agido ou reagido às situações quando surgiam, acabei por no fim do meu dia carregar um peso na consciência misturado com um sentimento de desilusão. 

Hoje, se pudesse tinha despido a minha pele.



... amanhã vai correr melhor. Não é?

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Azares de Maria...

Tenho andado um bocado com azar! Sabem quando uma maquina avaria em casa e de repente quase tudo começa a queixar-se, tipo efeito dominó?!?

Bem, fiquei sem aspirador, ( o que para uma Maria Varredora é gravíssimo), entretanto o pc desliga-se e recusa-se a trabalhar, quando tenho pc, a internet falha, resolvo telefonar para a operadora, e reparo que não tenho telefone. A box dos canais vai à vida e deixo cair o telemóvel. Até tenho medo de ligar alguma coisa, não vá isso também dar o badagaio. 

Acho que...

...é a sensação que tenho.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Que cara é essa Maria?

Eu sou a favor do brio profissional, mas isto é demais! Estava eu sentada na fila da frente do autocarro e peço ao motorista para ele fazer o favor de parar na próxima paragem. 

Imaginem a minha cara quando ele me responde assim:





(FIM)

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Karma de Maria

A minha amiga diz que atraio gente estranha. Será que é porque se identificam comigo? Sou educada de uma forma distante, prezo muito o meu silencio e sossego. Não me considero uma pessoa acessível. O que é certo é que gente estranha acaba sempre por vir ter comigo e tentar conversar. Se as pessoas têm tiques, eu começo a pensar que tb os tenho e sinto-os, se falam demais eu fico estática sem saber o que dizer, se se aproximam demais eu sinto calafrios. Quem me conhece bem e está presente acaba por achar graça à minha reacção. 

Bem, parece que a estranha aqui sou eu, mas garanto-vos que não! Lol...

Hoje, contava com um regresso a casa sossegado e calmo. De repente entra no autocarro uma colega do armazém. O autocarro estava praticamente vazio e ela sentou-se ao meu lado. E então o interrogatório começou...


Escusado será dizer que eu mal abri a boca, de repente tive uma ideia fantástica. Vou sair uma paragem antes da minha para não aturar esta maluca que quer ser dotôra. E não é que ela saiu comigo e acompanhou-me quase até a casa? É karma, posso pensar, mas porquê? 

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Conta a Maria que no outro dia...

No outro dia fui com uma amiga comprar uma fantasia de Carnaval para a sua "piquena", que já é uma adolescente mais alta que eu. Após visitar algumas lojas a procura de fantasias constatei que a Loja das Fazendas precisa de mais publicidade. Os fabricantes de fantasias estão a poupar no tecido, principalmente nas fantasias das meninas.  

É certo que só usa quem quer, mas não devia haver mais variedade? Quando a saia é comprida, toca de mostrar as "bazundas", quando as bazungas estão tapadas, quase que se mostra a bad'joila. Pronto... foi só um desabafo. 

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Dá cá um beijinho Maria...

Batem leve, levemente
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é certamente
e a chuva não bate assim.

(fui ver e era o herpes)


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

O rabo insensível de Maria

Lá por ser mulher não quer dizer que sinta as mesmas "dores" que as outras sentem. E não acredito que tenha a ver com a idade. Tenho reparado que em consequência dos frios que se tem sentido, existe um comportamento comum em algumas mulheres do meu sector. Não querendo dizer nomes vejo-me obrigada, unicamente para vos situar. Xuxa Aldente, Chupeta Feijó e Suse Prejudicada. (Cof...cof...já disse!)
A ida a casa de banho era uma coisa tão banal e ninguém tinha particular satisfação em demonstrar ou avisar que ia verter águas. Com esta vaga de frio o tema “fazer xixi” é demasiado conversado e vem acompanhado com comentários de extremo desagrado. Acontece que as madames, andam a controlar-se ao máximo para não ter de ir ao wc. Ainda pensei que estavam numa competição, “quanto líquido é que a minha bexiga aguenta”. Mas só depois constatei que a ida a casa de banho é-lhes penoso porque têm frio. O facto de levantarem a saia ou baixarem as calças é tortuoso. Saem do WC como galinhas arrepiadas e não param de cacarejar até aquecer. Não me queixo disso, e não percebo qual é a dificuldade. Será que elas têm medo de se constipar pelo rabo? Ou será que tenho um rabo insensível? 


Maria veio só mesmo para....


E deixar-vos uma bejufa com o desejo de uma boa semana !!!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Maria espirra pastel de nata

Mais um dia de inauguração na Loja das Fazendas. O Ego do Yolando e do resto do conselho de administração estava de "saltos altos". Mais convidados ilustres apoiaram e aplaudiram a inauguração do novo padrão de fazenda feita com lã de ovelhas Alguidarenses. Este ano com padrão tigresse. (não sei como me lembro destas coisas) 


A meio da cerimonia tive de sair com a Suse Prejudicada e garanto-vos que não tinha planeado nada disto, mas Suse, uma vez que não podia ficar e tinha de sair mais cedo, convenceu-me a assaltar a sala do "beberete de honra". Isso é que era bom! Sair mais cedo e não proovar destas iguarias. Assim e com receio que alguém aparecesse enfiamos umas quantas miniaturas de salgados e bolinhos pelos olhos e pela boca. De repente deu-me uma vontade de rir tão grande, tão tão grande e apercebi-me que não conseguia respirar. Tinha 3 pasteis de nata na boca. Ri tanto que acabei por espirrar pastel de nata. Pelo menos foram secreções doces. (glup***)

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Maria indecisa

Com tanta propaganda ao frio que se avizinha, hoje  acordei com esta disposição.


Mas o meu sentido de responsabilidade fez-me levantar o cú da cama. Bom dia, muito frio por aí???

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Fretes de uma pobre funcionária chamada Maria

As coisas que uma pessoa atura... Imaginem vocês a minha cara quando estico a mão para receber o pagamento de um cliente da Loja das Fazendas e ele entrega-me duas notas dobradinhas com "presente".

Já se sabe que o dinheiro não é uma coisa asseada. Não é por acaso que os meus companheiros fieis de secretaria são os toalhetes e o desinfectante. Mas receber notas com pêlos e cotão sabe-se lá de onde, é galo! PORCO DO HOMEM!!!

Imaginem esta Maria a abanar as notas a frente da cara do homem e a soltar gritinhos histéricos de repugnância pelo "pêlo" que ainda teimava em ficar agarrado a esvoaçar colado a nota. Não vou entrar em pormenores. É triste mas é verdade, este foi o meu ponto alto mais baixo do dia! E vocês passaram bem?